Empreendedorismo

Brasileiros têm problemas com persistência.

26 de fevereiro de 2018

Fui a uma palestra aqui em NY sobre investimentos e, na ocasião, o ministrante citava que, em se tratando de aposentadoria, só os turcos poupam menos que os brasileiros. Isso me assustou e decidi pesquisar um pouco sobre o assunto e encontrei algumas informações que diziam o mesmo: os brasileiros têm problemas com persistência.

Comecei a analisar, nesse sentido, como se comportavam alguns amigos e os próprios clientes da empresa em que trabalho, para entender quais seriam as origens desse problema.

Desconsiderando o cenário atual, pois o Brasil está em um momento difícil, vivendo uma conturbada crise econômica e escândalos políticos, todas as referências que li alertavam para o fato de o brasileiro não se preocupar com o futuro. Na verdade, até preocupa-se, porém, não parte para a ação. Com isso, a ideia de poupar fica só naquele pensamento: “quem sabe um dia”, e o tempo vai passando e esse dia não chega… nem vai chegar, se continuar pensando assim.

As pessoas têm as suas próprias “desculpas”, das mais variadas possíveis. Dentre as mais citadas, destacam-se estas: pouca renda, não sabem se organizar e muitos compromissos assumidos.

Na verdade, vejo que a maioria não pensa na velhice e, quando pensa, acha que é algo muito distante, que ainda tem bastante tempo pela frente e prefere fazer isso em outra ocasião. Vejo também que existe uma falta de vontade em buscar informações sobre educação financeira, então, acaba-se desperdiçando tempo e dinheiro com muitas coisas desnecessárias.

 

 

Planeje-se

Não sou uma grande empresária que fatura milhões de dólares, porém, quando o assunto é planejamento e metas, posso dizer que tenho um pouco de propriedade para falar a respeito, pois, além de trabalhar com isto, sempre consegui ter disciplina e realizar todos os meus objetivos e sonhos, através do meu planejamento financeiro. Desta forma, pensei: “por que não ajudar quem está perdido e não sabe como fazer isto?”

Quando faço visitas aos meus clientes, percebo o mesmo problema. Os primeiros pontos são: gastos excessivos, falta de planejamento e foco. Também há as taxas desnecessárias do cartão de crédito e dos bancos, que acabam destruindo os nossos planos e projetos.

Não sou a favor do controle extremo, porém, nosso futuro deve ser planejado com base nos nossos desejos! Não podemos fazer algo que vai no sentido contrário do que almejamos… Particularmente, não sou o tipo de pessoa que pensa em acumular fortunas, mas gosto de bancar meus sonhos e minha independência financeira e tenho a plena consciência de que meus pais não podem ser responsáveis por isto.

Trabalhar com dinheiro me dá uma certa vantagem, mas nada pode ser utilizado como desculpa. Se você realmente quer, vai conseguir. Pouco ou muito, tudo vale a pena quando há planejamento e seu objetivo é alcançado.

Saiba que a ausência de consciência é uma condição que se vê com muita frequência por aí. Achamos que o futuro nunca vai chegar. Não fomos ensinados e acostumados a pensar a longo prazo. Mas é preciso considerar que aquilo que se planta hoje, agora, é o que será colhido amanhã. Se você não plantar, o que vai colher? O ponteiro do relógio movimenta-se a cada segundo e seu futuro está indo bem rápido junto com ele.

Esse não é um comportamento só da classe média. A classe média alta tem os mesmos problemas. Percebo que muitos investimentos quando planejados para longo prazo têm maiores dificuldades de serem mantidos, pois, as pessoas são imediatistas, por isso, acabam precisando do governo quando se aposentam. Além disso, muitas desculpas são dadas para sacar o investimento antes do prazo estipulado. Escuto de tudo, menos o real motivo: “Me falta disciplina e planejamento”. Mas não vamos chorar o leite derramado.

 

Vamos a parte prática!!

 

Seguem algumas dicas práticas para alcançar suas metas financeiras de médio e longo prazo, evitando a auto-sabotagem.

1- Estude e leia mais sobre: Como gastar meu dinheiro? Invista tempo em: estudar prazos, produtos e rentabilidade.

2- Se você não tem persistência adquira produtos no qual você não pode retirar o dinheiro facilmente, isso te obrigará a juntar forçadamente até você adquirir consciência e disciplina.

3- Se pague primeiro! Autorize débitos automáticos na sua conta corrente para sua conta de investimento, o débito precisa ser feito no dia que você recebe seu salário.

4- Evite comprar o que você não precisa!!! Foco no seu futuro.

5- Faça um pacto com alguém de confiança e juntem dinheiro juntos, escolha alguém que têm mais disciplina que você e ele pode ser responsável por cobrar a sua parte e quando vocês atingirem uma meta razoável estudem e apliquem em conjunto.

6- Invista em projetos de médio e longo prazo no seu negócio, educação financeira, cursos e etc.. Isso lhe ajudará a entender a importância de juntar uma parte do seu dinheiro para um futuro mais estável e responsável.

 

Espero, a cada post, poder ajudá-lo e juntos conseguirmos organizar nossos pensamentos em prol da realização de algo que queremos muito. Vamos, aos poucos, caminhando rumo a um mesmo propósito.

 

“Compartilhar conhecimentos e alcançar metas.”

Vou me dedicar a isto, este mês. O que acha? Vamos Juntos?

Deixe suas dicas e comentários abaixo! 😉

Sucesso e até breve =)

Relacionados a este post

Nenhum comentário

Escreve uma resposta

Receba nossas atualizações

e inspire-se com dicas sobre independência financeira