Empreendedorismo

Por que deveríamos investir em um projeto de felicidade?

6 de março de 2019

Este ano, decidi criar o desafio da leitura, com uma meta de, no mínimo, 24 livros no final de dezembro. Portanto, dois livros por mês. Atualmente, estou lendo “The Happiness Project”, de Gretchen Rubin. 

A autora descobriu que perdia muito tempo com coisas que não eram importantes, até focar no projeto da felicidade e pontuar o que realmente a faz feliz e focar nisso durante o ano. 

 Trouxe esse conceito para a minha vida e cortei tudo o que não era relevante, desde o ano passado. Analisei cada detalhe e percebi que a felicidade, para mim, é um conjunto de pequenas ações, como: diminuir a acumulação de objetos, melhorar a organização dos espaços, usar coisas que estão paradas nos armários, escutar mais música, ter novas experiências, iniciar novas atividades etc.

 Também tenho lido vários outros livros, analisado mais quem eu sou e externando minha personalidade naquilo que produzo.  

 Tenho me avaliado constantemente para responder algumas perguntas muito importantes: O que mais gosto de fazer? Quais são os meus desejos mais profundos? Para onde estou indo?

 

————

 

Eliminando 

 Descobri que preciso enxugar muita coisa extra para me sentir feliz, e desagradar pessoas fará parte desse processo. 

 Estou vivendo um momento bem pessoal; faço centenas de notas no meu celular e pondero a minha participação em eventos para os quais sou convidada, com um viés bem crítico.

 Vai ser um ano desafiador, focado em arrumar a casa!!

 Uma das minhas resoluções é viajar bem mais e sem nenhuma conexão com meu trabalho. Nos últimos anos, por estar focada em alguns projetos, acabei fazendo somente viagens a trabalho. 

 No momento em que escrevo este texto, estou de férias, alimentando duas coisas que aumentam meus índices de felicidade: estar com amigos + viajar. E, desta vez, tenho um desafio extra, já que a internet não funciona e só terei acesso a mandar mensagens à noite, o que não me acontece há anos. 

 Estou tentando desacelerar e usar estes dias para pensar e voltar firme no meu propósito.

 

————————

 

O luxo de viajar 

 Também passei a repensar o conceito de viajar, que hoje virou um símbolo de luxo: as pessoas estão mais preocupadas em escolher lugares baseados nas fotos que vão postar nas redes sociais. 

 Então, tenho avaliado as minhas experiências para escolher lugares que vão me possibilitar refletir e descansar, em vez de um itinerário exaustivo só para mostrar os diversos lugares que visitei. 

 Sou uma viajante misturada, gosto de todo tipo de aventura, mas, na maioria das vezes, prefiro alugar apartamentos ou casas e ficar mais tempo, para ter uma experiência calma com os moradores da região. 

 

————-

 

Não se pode ter tudo

 Eu completo essa frase assim: “não se pode ter tudo ao mesmo tempo”; temos que selecionar nossas prioridades. 

 Não podemos, no mesmo ano, querer ser fitness, montar um lindo projeto, aceitar todos os convites de eventos e festas, e lotar a nossa agenda com coisas que vão tomar demais o nosso tempo. 

 Este ano, eu decidi dar foco a três pontos da minha vida e encaixar um quarto como extra.  Esse tem sido meu desafio, pois costumo me envolver na organização de diversas coisas, mas, no final, só três delas me trazem resultados reais. 

 Conversei com algumas pessoas e expliquei a elas que já não poderia ajudar como de costume. Isso doeu bastante, já que recebo muitas mensagens e fico meio perturbada, querendo participar de tudo!! Principalmente dos eventos de empreendedorismo que acontecem em New York. 

 Mas o foco é a alma do negócio e esta é a mais pura verdade: quando coloco foco e direção em algo, as coisas andam de forma mágica.  

 

—————————

 

Não está sendo fácil 

 Desde que o ano começou, tenho colocado alarmes semanais no meu celular para que meu cérebro se acostume com os novos comandos!!! Eu escrevo o meu ponto central da semana e logo em seguida – NÃO aceitar nada de extra na agenda!!!! E assim mantive o foco durante todo o mês de janeiro e tentarei a mesma estratégia em fevereiro. 

 Também comecei 2019 com pequenas ações, como dividir a casa em áreas e jogar fora tudo o que não uso e que só ocupa espaço. Continuei seguindo a linha minimalista, organizei meu ano e incluí datas de descanso, além de mais viagens com amigos.

 Concentrei-me em organizar meu portfólio de investimentos e vou ler mais livros sobre finanças nos meses seguintes. Vou, ainda, dar algumas dicas no meu Instagram para, assim, crescermos juntos. 

 Mas minha prioridade este ano é impulsionar meu negócio e focar mais na minha vida espiritual. 

 Para que tudo isso funcione, eu preciso colocar avisos em toda parte!! Tem sido fácil? Não, tem sido bem trabalhoso, mas tenho me sentido mais feliz e realizada. 

 De qualquer forma, este será um período curto. Em junho, eu volto para minha vida social com calma e paciência, para passar o verão rodeado de amigos em NYC. Vamos, assim, vivendo um dia após o outro e realizando diariamente pequenas tarefas que, juntas, aumentarão os nossos índices de felicidade. 

 Convido você a também montar o seu “Projeto da felicidade”. Podemos compartilhá-los nos nossos stories, para nos motivar, um ao outro, nesta caminhada. Usarei a hashtag #projetodafelicidade e espero encontrar você por lá. 

 

Até a próxima.

Relacionados a este post

2 Comentários

  • Responder Katia Susanna Hafford 15 de março de 2019 a 15:07

    Desde que mudei para os Estados Unidos tive que fazer escolhas. Algumas dessas em relação a área financeira. Estudar mais e focar no crescimento intelectual, ao passo que me dou de presente contemplar este país. Eu viajo em morar aqui e a cada dia descubro que o aprendizado e a quebra de crenças, em relação ao que os outros acham, deve ser um fator a ser perseguido. Obrigada por partilhar a sua experiência.

    • Responder Verena Cordeiro 15 de março de 2019 a 15:56

      Katia, Obrigada pelo seu comentário! Bem vinda ao nosso grupo. 😉

    Deixe uma resposta para Verena Cordeiro Cancelar resposta

    Receba nossas atualizações

    e inspire-se com dicas sobre independência financeira